"Amar é um combate de relâmpagos e dois corpos por um só mel derrotados.." ( Pablo Neruda)





A Cópula


Depois de lhe beijar meticulosamente o cú que é uma pimenta,

a buceta que é um doce, o moço exibe a moça o que trouxe de

bagagem, culhões e membro, um membro enorme e tungente.







Ela toma-o na boca e morde-o incontinente,

não pode ele conter-se e de um jato esporrou-se

Não desarmou-lhe porém,

antes mais rijo alterou-se, e fudeu-a.




Ela geme, ela peida, ela sente que vai morrer



Eu morro!



Ai! Não queres que eu morra?



Grita para o rapaz que aceso como um diabo



arde em cio e tesão na amorosa gangorra.






E titilando-a nos mamilos e no rabo



que depois irá ter sua ração de porra



lhe enfia a gona adentro o mangalho até o cabo.





MANUEL BANDEIRA







Teus

São teus os meus seios
Entregue em tuas mãos os bicos tesos a minha rendição no canto de teus quereres



Minha boca é tua




Eterna guardiã de segredos em língua, em pele e pêlos de desejos





Meus labios são teus



abertos em pétalas de flor, para saciar tua fome


Em abraços estreitos, fogo do ventre, a minha umidade cala-se com o bálsamo de teu gozo

Photo



Photo



Photo



Photo